Share Voto Rápido

Poll link

500 px
350 px
250 px
Pré-visualizar

- pré-visualizar

Largura - pixeis; Altura - pixeis

Fechar pré-visualização
! Você está usando um navegador que não é compatível A sua versão do navegador não está otimizada para a Toluna, recomendamos que você instale a versão mais recente Atualizar
A nossa Política de Privacidade rege a sua participação no nosso Painel de Influenciadores, que você pode acessar aqui. O nosso website usa cookies. Como no mundo offline, cookies tornam qualquer situação melhor. Para aprender mais sobre os cookies que são usados no nosso website, verifique a nossa Política de Cookies.

Dameli

  15 meses atrás

PESSOAL, OLHA COMO AS PESQUISAS QUE RESPONDEMOS AQUI NA TOLUNA TEM GRANDE IMPORTÂNCIA.
É o fim da TV? Streaming é hábito diário para 43% dos brasileiros

Fechado

As plataformas de streaming de vídeo, como Netflix, Amazon Prime e Globoplay, conquistaram espaço fixo na rotina dos brasileiros durante a pandemia do novo coronavírus. Pesquisa feita pela Nielsen Brasil, em parceria com a Toluna, mostra que 42,8% dos brasileiros entrevistados assistem conteúdos por streaming diariamente. Outros 43,9% consomem vídeos no formato pelo menos uma vez na semana. Somente 2,5% declararam que nunca veem algo por streaming.

O Brasil já era um dos dez maiores mercados de streaming do mundo antes da pandemia, mas parece que o isolamento social intensificou ainda mais o consumo deste tipo de entretenimento. “Os conteúdos sob demanda realmente se tornaram companheiros da população nos momentos mais complicados da pandemia”, afirma a líder de mídia da Nielsen, Sabrina Balhes.

Segundo o estudo, que ouviu 1.260 pessoas das classes A, B e C no dia 30 de junho, as plataformas que seguem o modelo da Netflix são as favoritas de 73,5% dos entrevistados. Sites como YouTube e Vimeo aparecem na segunda posição, com 63,8% de preferência. Na sequência, estão a TV aberta (61,5%) e a TV a cabo (54,9%).

Mas isso indica que o fim da televisão está próximo? Depende. Os grupos mais jovens, de 16 a 23 anos e de 24 a 35 anos consomem mais conteúdo via streaming. Mas a TV a cabo é a favorita (65,7%) do público com mais de 56 anos. A TV aberta, por outro lado, é a preferida das pessoas entre 46 e 55 anos (62,9%).

“Não há uma canibalização, mas uma sofisticação da oferta”, diz Balhes. Na visão da especialista, como o consumidor tem um número limitado de capital e de tempo para assistir vídeos, as empresas de streaming e os canais de TV entenderam que precisam fazer parcerias entre si para continuar relevantes. “No fim, o que importa é ter conteúdo de qualidade”, afirma.

Os queridinhos da audiência
No Brasil, segundo a pesquisa da Nielsen, dois gigantes disputam a dianteira pela preferência dos usuários: YouTube (89,4%) e Netflix (86,6%). Depois estão Amazon Prime (40,2%), Globoplay (25,5%), Instagram TV (18,8%), Telecine Play (18,6%), HBO Go (14,3%) e Google Play (12,3%). Outros serviços, como Apple TV, Globosat Play, Net Now, e Youtube Premium não chegaram a 10% de preferência entre os entrevistados.

Mas essa divisão pode mudar drasticamente em novembro, com a chegada de um player gigantesco no mercado de streaming brasileiro: a Disney. Dona de marcas de sucesso, como Star Wars e Marvel, a empresa pode mexer com a audiência e com o mercado publicitário.

Segundo Balhes, com a chegada do Disney +, a publicidade precisará descobrir como se relacionar com os conteúdos produzidos e disponibilizados pela empresa no país. “As marcas vão precisar entender o comportamento dos consumidores antes de se posicionarem”, diz a especialista da Nielsen.

Tela grande ou pequena?
O streaming já faz parte da rotina, mas como os brasileiros estão vendo essas séries, filmes e vídeos? Na pesquisa da Nielsen com a Toluna, a maior parte dos entrevistados (76,6%) disse assistir diretamente na Smart TV. O segundo dispositivo favorito é o smartphone, preferido por 64,8% das pessoas ouvidas. Na sequência, aparecem os computadores e notebooks (56,3%), os tablets (18,2%) e os consoles de jogos (13%).

Apesar da maioria ainda preferir o conforto da tela grande, o smartphone tem estado mais presente na vida das pessoas durante a quarentena. Ele é o dispositivo mais usado pelos brasileiros (86%) das 9h às 15h, momento do dia em que também acontece o pico de compras no e-commerce.

“As pessoas foram conquistadas pela facilidade de realizar atividades em seu dia a dia utilizando os aplicativos para smartphones – sejam eles para fazer compras, realizar um atendimento de telemedicina ou acessar os serviços de streaming de vídeo e de música”, afirmou Renata Bendit, líder do time de satisfação do cliente na América Latina da Toluna.

Mesmo passando boa parte do dia conectados, os brasileiros não se incomodam com a publicidade. Pelo menos não durante a pandemia. Entre os entrevistados, 21,3% disseram estar muito confortáveis com anúncios e 15,4%, um pouco confortáveis. Outros 22,5% responderam se sentir pouco confortáveis. Quase 30% são neutros e apenas 11,9% se classificaram como muito desconfortáveis com a publicidade em tempos de pandemia.

Fonte: Exame

Eu já respondi a essa pesquisa aqui na Toluna e você?
Responder

Copiado para a área de transferência

Você está quase lá

Para poder criar conteúdo na comunidade

Verifique o seu e-mail / reenviar
Não, obrigado! Estou apenas olhando

OK
Cancelar
Lamentavelmente, desativamos a funcionalidade de login com Facebook. Por favor, digite seu e-mail do Facebook para receber um link de criação de senha.
Por favor, insira dados válidos para Email
Cancelar
Processando...
Se você incluir uma foto, seu perfil fica mais legal.
Carregar